A difícil arte de ser "Pai" [Acessibilidade]

Depois que nos tornamos pais, começamos a perceber que faltam algumas coisas em certos lugares, ou estes estão inadequados. Como já conversamos sobre a acessibilidade dos carrinhos de bebê, a dificuldade também se encontra em outras situações.
Segundo o dicionário Aurélio: Significado de Acessibilidade s.f. Qualidade do que é acessível, do que tem acesso. Logo um pai que não pode entrar em um banheiro com trocador (pois o mesmo só tem no banheiro feminino), não possui acessibilidade. Nos dias de hoje é muito comum pais viajar ou passear com filhos sem as mamães, e nesse momento os papais precisam trocar seus filhos ou levar sua filha ao banheiro, e agora?? O que fazer? E por quê essa cultura que as mães que devem trocar e levar os filhos ao banheiro? 
Um blog que acompanho e admiro A Janela Laranja, criou um manifesto de um pai que participa: por +banheiros familiares e +trocadores nos banheiros masculinos.
Aqui na Grande Florianópolis, alguns shoppings e restaurantes já estão aderindo a esse formato. Acho o banheiro familiar uma excelente solução para lugares em que não tem como fazer muitas opções. Fui a um restaurante onde o banheiro para cadeirantes, possui o trocador e por ser mais amplo, pode ser usado como banheiro familiar. Lembro-me quando minha filha era bebê, e passeava com ela no shopping por exemplo, como ir ao banheiro e deixá-la no carrinho sozinha?? Sempre optava em ir ao shopping que tinha banheiro familiar (ainda farei um post só sobres os shopping, se eles deixarem…rsrs)
Sei que para os donos de estabelecimentos, tudo gera custo, mas devem lembrar que os que possuem esse diferencial, atraem mais clientes. Em locais com grande circulação de pessoas, como shoppings, aeroportos, rodoviárias, os administradores deveriam ver isso como uma obrigação. 
Sobre um outro problema de acessibilidade, semana passada entrou em vigor uma lei em São Paulo para reservar vagas em estacionamento para grávidas e mães (que deveria ser os pais também). Há quem não concorde, mas experimente ir sozinha(o) para algum lugar com filho pequeno sozinho, para ver se não muda de opinião. Aqui na cidade já temos um shopping que separou esse tipo de vaga.
Esses diferenciais só demonstram o respeito e carinho dos estabelecimentos com as famílias que frequentam o local. E eu agradeço! Beijos Patty
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s