Brigas de crianças [Papo de Mãe]

Por Adriana Garcia

Pensei que não fosse passar por isso tão cedo: Minha filha brigou feio com uma amiguinha no colégio e partiram para a agressão física. Eu não sabia de nada até a mãe da amiguinha me ligar dizendo que a menina ficou cheia de arranhões. Somos amigas, e por isso ficou tudo bem. Mas Sofia teve um sermão daqueles! Primeiro pela briga, segundo pelo fato de não ter me contado. A mãe da amiguinha só soube da intriga porque viu os arranhões e foi questionar caso contrário não saberíamos por que entre elas ficou tudo acertado. Conheço Sofia e seu gênio fortíssimo, por isso estou sempre lendo e tentando agir da melhor forma em situações embaraçosas como esta por exemplo. E o que li por ai?  Li que, entre crianças este comportamento é compreensível. Que nessa fase, as crianças estão aprendendo e treinando como se portar em grupo, a usar argumentos que justifiquem seu ponto de vista ou direitos. E é nessa hora que elas começam a aprender a ceder e a defender seu espaço. E esta transição faz com que alguns se exaltem os ânimos ao ponto de chegarem a trocar algumas tapas, beliscões e até insultos, mas sem muita importância. Psicólogos indicam intervenção dos pais somente quando as crianças se pegam para valer. E foi esse o caso! Então a interferência foi necessária, porém com consciência de que se trata de um assunto de crianças. Os desentendimentos entre amigos são inevitáveis. o enfoque principal dos especialistas é a observação posterior à discussão. Então como as crianças esquecem facilmente as brigas, e as duas cinco minutos depois dos arranhões voltaram a ser melhores amigas, fiquei um pouco mais tranquila. E gostei muito da opinião de uma psicopedagoga doutora em Psicologia da Educação,Sonia Losito“Para proteger o filho, os pais acabam se antecipando e assumindo o papel dele. É claro que precisam observar vigiar e até se interpor em algum momento, mas sem subestimar a capacidade da criança encontrar recursos para enfrentar a situação por si mesma”. A intromissão frequente dos pais nas confusões infantis pode causar danos à autoestima, que prejudicam os relacionamentos na idade adulta. Diante desse assunto, o que você pensa? Já passou por isso com seu filho? Divida conosco sua opinião!
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s