Colar de Âmbar

SEREIA

foto de: https://www.facebook.com/babitatifotografias/

Em várias fotos a Lara aparece com o colar de âmbar e muita gente acaba me perguntando qual a função dele, por isso resolvi falar de como ele me ajudou, assim quem sabe ele possa ajudar outras mamães por ai! 
Quando o primeiro dente da Lara começou a rasgar foi um caos, febre, muita diarreia, muita choro na madruga, muita irritação e aqueles litros de baba por segundo.

Já conhecia o colar de âmbar da creche em que trabalhei e confesso que nunca acreditei muito nele. No desespero de querer fazer algo para ajudar comprei o colar, naquela ideia de que se bem não fizer mal também não ia fazer.
Quando coloquei o colar a primeira mudança que percebi foi que ela parou de babar, não é que diminuiu, ela parou! Confesso que fiquei procurando as melhorias e não percebi, até que precisei tira-lo uns dias, depois que entrei com ela piscina e não sabia q não podia, tirei para energizar e acabei esquecendo de colocar de novo, ela ficou uns três dias sem, E??? Ela voltou a ficar muito irritada, a chorar bastante e a babar muito, o sono ficou super agitado e todo aquele caos voltou! A mãe de uma coleguinha de natação da Lara me falou que se o colar entra em contato com muito cloro ele cria uma película em volta das pedras que acaba por não ter mais contato com a pele da criança, lembrando que é quando a “pedra de âmbar entra em contato com a pele do bebê, que as pedras se aquecem e liberam quantidades minúsculas do ácido succínico no corpo.” Ele é considerado um antiflamatório natural e Por isso o acessório auxilia especialmente durante a fase de dentição, por aliviar dores e desconfortos como inchaço da gengiva e febre.” Porem não existe comprovações cientificas sobre seus benefícios, mas os relatos sobre ele são sempre muito positivos.

outro ponto positivo para o colar foi em relação ao refluxo da Lara, fizemos tudo que a pediatra recomendou, os remédios não ajudavam, trocamos o leite (ela tomava formula), e nada parecia ajudar muito. Tinhamos dias bem ruins, tudo que ela comia voltava e aquilo me deixava desesperada. Nesse meio tempo o colar chegou e depois de um tempo, bastante tempo para ser sincera, percebi que o refluxo tinha diminuído muito, tínhamos dias tão bons que eu esquecia do refluxo. coincidência ou não eu não sei, mas depois da chegada do colar as coisas melhoraram muito por aqui!

Como tudo na maternidade cada um acaba por ter a sua experiência com as coisas e aqui na minha casa, com a minha cria a experiência foi ótima, super recomendo! Hoje eu só tiro o colar p/ natação e coloco de novo! ela mal mexe nele, acho que já acostumou.

O colar da Lara é o mel, mas existem outros tipos com outras tonalidades e com outras pedrinhas diferentes, mas o efeito é o mesmo!

AHHH e tem que cuidar que tem muuuuito colar falso por ai, algumas maneiras de testar a veracidade da pedra é Colocando uma ou duas gotas de álcool em uma das partes do colar. Se alterar a cor, não é âmbar; Fazer uma mistura de água e sal, coloque o colar de âmbar, se boiar, é autêntica. (isso que faço quando esqueço e coloco a Lara na piscina com ele) ou testar a temperatura do colar o âmbar é morno ao toque, bem diferente das imitações de vidro, os de vidro acabam sendo mais frios.

E por ai, o colar ajudou? Como foi a experiência de vocês com ele?

Bejinhos Gi :*

Anúncios

Pulseiras [Papo de Mulher]

Já faz algum tempo que a pulseira de berloque apareceu no mundo dos acessórios femininos. Eu ganhei uma do meu marido no dia dos namorados este ano e estou morrendo de amores por esta modinha que pra mim, veio pra ficar. A marca mais famosa e  $$$chique$$$ que vende as pulseiras é a Pandora, onde um único berloque custa em média R$250,00.
Tem também a Vivara que lançou a coleção Life, onde os preços são um pouco menor. 
E dai pra frente várias marcas lançaram suas coleções,  com modelos parecidos tanto em prata, ouro e até mesmo em couro, tem para todos os gostos e para todos os bolsos.
A minha foi comprada na Loja Fina Prata do Continente Park Shopping.

O mais legal de tudo é que cada berloque serve para contar um pouco da sua história, coisas que você gosta, viagens que você fez, da para representar seus filhos, marido, gato, cachorro, papagaio, enfim eu adoro e sempre estou atrás de um berloque diferente para incrementar e contar um pouco de mim na minha pulseira!
Entre você também nesta onda!!!!

Um grande beijo, Vanessa. A Mãe que Virou Blogueira.

Pashminas: uma aliada no seu guarda roupas! [Papo de Mulher]

O quanto eu sou apaixonada pelo inverno vocês já sabem, adoro tudo o que nele existe, mas principalmente as roupas, sei lá acho uma estação chique!!! E um acessório pra lá de essencial e que dá um toque todo especial no look pra mim são as PASCHMINAS. Hoje vim dividir com vocês um pouco sobre esta belezinha que não pode faltar no nosso guarda-roupas.

A pashminas é um tipo de tecido feito a partir dos pelos de cabra da região da Caxemira que fica entre o Paquistão e a Índia. Esse tecido é transformado em mantas, cachecóis, xales, blusas entre muitas outras coisas. A cada dia mais a pashminas é conhecida, pois é um tecido bem quente capaz de aquecer nos dias de muito frio, sendo indispensável no guarda-roupa de qualquer mulher.
O problema é que as peças de roupas feitas a partir da pashminas são mais caras que as demais, impossibilitando um pouco o acesso a ela. Se você possui um cachecol, xale, um pedaço do pano entre outras coisas, mas não sabe como usar.

Como usar Pashminas
As pashminas podem ser usadas de diversas maneiras diferentes como o cachecol, enrolada no pescoço, caída no colo, sem nó e nem laços, com o meio nas costas e as duas pontas para frente, formando um laço no colo da mulher. Também é possível usar solta no pescoço de forma que as duas pontas caiam na frente, assim fica bonito ao colocar um cinto passando por cima da pashmina.

Dá para usar a pashminas amarrada na cintura, com as pontas caídas de lado, amarrada na bolsa como se fosse uma capa de bolsa, ou amarra na alça da bolsa. Fazer um laço no pescoço, passar a pashmina pelo pescoço, cruzar as duas pontas pela cintura e amarrar atrás e fazer um laço na cintura. Essas são as maneiras mais simples de amarrar uma pashmina e se sentir confortável com esse lindo acessório.
A pashminas com franja pode ser usada da mesma maneira, passando por cima de toda a blusa ou apenas no pescoço, o que depende da preferência da mulher que usará. Você pode usar a pashminas com franja tanto no inverno quanto no verão e em qualquer estação do ano, já que o tecido dela tende a combinar cm diversos tipos de roupas, mas na dúvida, sempre devemos optar pele preto básico e pelo jeans

Agora que você já sabe o que é e como usar as pashminas, corra para as lojas mais lindas da sua cidade e leva todas as que mais tem a ver com você e que combinarão com suas roupas.

Um grande beijo e use e abuse das Pashminas.

Vanessa, A mãe que virou Blogueira!

Além de Mães, somos Mulheres! [Papo de Mulher]

Apresento a vocês nossa nova parceira: a Vanessa, do blog A Mãe que Virou Blogueira. Ela irá escrever semanalmente pra nós, mães e mulheres, dicas dessa nossa vida corrida, de como conciliar a mãe e a mulher que existe dentro de cada uma de nós. Espero que curtam! Beijos Patty

A mulher que existe por trás da mãe.
Sim ela existe, por mais que esteja mergulhada no mundo da maternidade, envolvida com fraldas, rotina e a livre demanda.
É muito comum acontecer com todas as mães este esquecimento da mulher e se tornar a mãe em tempo integral, nossa vida muda com o nascimento dos filhos, passamos a ter uma pessoinha totalmente indefesa e dependente de nós, aprendemos a ser mãe na prática e quando sobra qualquer tempinho se quer, devemos descansar para quando a próxima etapa se iniciar.
É totalmente aceitável este momento de aprender e ser entregue ao bebê, é essencial e fundamental para estabelecer o apego, o contato e o vínculo. Porém este momento não deve ser estendido a toda a infância da criança, as vezes nem percebemos que nos anulamos.
Sim nos anulamos, apertamos o botão da função MÃE e não desligamos NUNCA!!!
Não estou dizendo aqui que devemos não ser mãe a todo o momento, ou em qualquer situação, estou apenas dizendo que devemos lembrar de cuidar da mulher que existe em nós. A maternidade é algo tão forte que algumas mães são tão apaixonadas e entregues aos seus filhos, que se esquecem de si, do esposo e da casa, mas dai vamos entrar em um assunto que vai render outro post futuramente!!!
O que eu quero tratar aqui é da mulher que existe em você. Ela existe e não pode e não deve estar presa!!!
DEIXE A SAIR!!!!  POR FAVOR!!!
Devemos cuidar de nós.
E você sabia, que quando cuidamos de nós mesmas conseguimos desempenhar qualquer papel com maior qualidade.
Qual mulher não se sente bem ao cuidar da aparência, comprar uma roupa, sapato ou passar uma tarde de beleza no salão!!!
Talvez você se sinta bem tendo uma conversa com outras pessoas sobre temas aleatórios, jogando conversa fora, rindo um pouco, saindo da sua rotina diária. Ou ainda parando um pouco em casa mesmo, para ler um livro, folear uma revista de seu interesse.
Cuidar de si, não é só cuidar do físico ou da aparência, quando eu digo cuidar de si é se amar, se valorizar, e o maior de tudo se enxergar.
Ser mãe é ótimo, mas redescobrir a mulher que existe em você também é.
Você sobreviveu a maternidade.
Parabéns, o mérito é todo seu!!
Mas eu te peço, não se esqueça, você além de ser mãe é mulher e uma mulher Maravilha!!!

Vanessa, A Mãe que Virou Blogueira
Minha Missão: motivar mães/mulheres para as alegrias da vida, para que elas tenham uma melhor visão de si e assim consigam enxergar as coisas boas que a vida lhe oferece!!