Medo de dentista [Colunista – Odontopediatra]

Cecília tranquila na cadeira da Dra Daiana, acostumada, vai desde bebê.

Seu filho tem medo de ir ao dentista? A odontofobia é muito comum entre adultos e crianças. As crianças, muitas vezes sem terem vivido esta experiência, temem esta viagem ao desconhecido. Muitas vezes elas sentem os medos que os amiguinhos do colégio, o pai ou até a mãe lhes transferiram através de palavras ou expressões ao comentar as suas próprias visitas ao dentista.

Este medo é quase uma constante tanto entre adultos como entre as crianças. Mas graças ao desenvolvimento científico e tecnológico que vem ocorrendo na prática da Odontologia, este sentimento esta virando um mito.

A melhor forma de “desmistificar” o famoso “medo do dentista” é começar pelas crianças e o quanto antes! A primeira providência prática neste sentido deve ser tomada pelos pais, pois ao levar seus filhos ao dentista devem procurar um profissional que tenha se especializado para o atendimento de crianças, este profissional é o Odontopediatra, que durante a sua formação como especialista estuda a psicologia infantil, além de ter um consultório apropriado, tornando a visita a odontopediatra um momento agradável e lúdico.

O primeiro contato da criança com o ambiente odontológico deve ser o melhor possível, assim os pais não devem aguardar que a criança sinta “dor de dente” para marcar a primeira consulta com a odontopediatra, pois a prevenção da cárie além de proporcionar uma condição bucal adequada permitirá à criança experiências odontológicas extremamente positivas, pois não havendo cárie, não haverá razão para a criança vivenciar as conseqüências desagradáveis advindas dela, como a sensação de dor. Mas se esta for inevitável a odontopediatra tem condições plenas de controlá-la e proporcionar um tratamento seguro e confortável para a criança.

Uma boa medida para evitar esses dissabores é fazer uma consulta prevenção a cada quatro meses. A criança se acostuma com a odontopediatra e perde o medo, pois suas visitas são sempre tranqüilas. Se houver necessidade de um tratamento mais invasivo o laço de confiança já foi estabelecido entre a criança e a odontopediatra, o que facilitará a realização do procedimento.

Sendo assim, os pais tem acesso as informações de cuidados e prevenção desde o nascimento da criança, proporcionando a elas um sorriso bonito a vida toda!!

Visitas a odontopediatra, qual freqüência? [Colunista – Odontopediatra]

                                                                                                       

                                                                                                        Por Daiana Hahn

Uma dica muito importante para manter a saúde bucal das crianças, além dos cuidados diários, é a freqüência de visitas à Odontopediatra. Mas surge uma dúvida… qual o período ideal de acompanhamento?  Como sei que estou fazendo isso corretamente? A mídia nos diz que devemos ir ao dentista a cada 6 meses, mas será que isso é o correto para seu filho (a)?

Primeiramente precisamos analisar uns fatores:
1) Rotina alimentar – principalmente para os bebês que mamam à noite e as crianças que ingerem alimentos com alto teor de açúcar;
2) Rotina de higiene bucal – atentar para o uso do fio dental, importante aliado para evitar as cáries ocultas;
3) Idade da criança – como exemplo os bebês e crianças em idade de troca dentária;
4) Comportamento do seu filho(a) perante as escovações – muitas mães relatam dificuldades porque seu filho não abre a boca ou não pára para poder escovar, não havendo uma higiene bucal adequada e eficiente para manter a saúde bucal.
Se todos esses fatores estiverem em equilíbrio é recomendado realizar consultas de prevenção com profilaxia e aplicação de flúor de 4 em 4 meses.
Mas havendo desequilíbrios é indicado antecipar a consulta, geralmente esses fatores são analisados e alertados pela Odontopediatra, sendo importante avaliar a rotina em cada consulta.
Mantendo essas visitas com a freqüência ideal para seu filho(a) é possível evitar uma série de problemas bucais, como a gengivite (doença onde a gengiva sangra) e principalmente a carie dental! Assim, conseguimos identificar o início do processo carioso e escapar da tão temida broca! Além de manter uma boa relação da criança com a dentista, um elo de confiança muito importante!

Criança deve passar fio dental? [Colunista – Odontopediatra]

por Daiana Hahn
SIMMM!!

O fio dental remove as partículas de alimentos e placa bacteriana que se instala entre os dentes e que a escova sozinha não consegue retirar. Assim evitamos o desenvolvimento das terríveis cáries interproximais, que vão surgindo escondidas, entre um dente e outro, e só aparecerá quando está muito grande ou quando a criança tiver dor de dente!

Devemos iniciar o uso do fio dental logo que necessário e possível ainda na dentição decídua (de leite) e quando surgirem os dentes permanentes terá este hábito incorporado na rotina de higiene bucal.

Como as pastas dentais, o fio dental também existe de vários sabores e personagens, tudo para tornar mais atrativo o seu uso! Use fio dental suave e flexível, para que não danifique os dentes e seja cômodo para as gengivas.

Aproveite e inicie esse cuidado na boquinha do seu filho e visite sua odontopediatra para ensinar dicas para tornar esse hábito mais fácil!!

O que você faz para incentivar seu filho escovar os dentes? [Colunista – Odontopediatra]

Por Daiana Hahn
Ola! Ensinar as crianças escovar os dentes não é fácil, tarefa que exige persistência e criatividade! Fico muito triste quando a mãe chega ao consultório e fala que seu filho não deixa escovar, as crianças passam por essa fase, mas devemos ter jogo de cintura e driblar essa situação como várias outras que passamos quando nos tornamos pais.
Devemos incluir a higiene bucal na rotina da criança e há vários meios de tornar esse momento divertido, como lançar mão de músicas, amigos ursinhos ou dinossauros podem ir ao banheiro junto para escovar seus dentes também.

O que ajuda bastante, são os diversos personagens que existem nas escovas, pasta e fio dental! Para as crianças é muito estimulante ter a escova da Dora Aventureira, Cocoricó, Barney, do Homem-aranha, dos Backyardigans, escova elétrica, que pisca ou que fica de pé na pia, enfim, são varias opções!
Mais importante ainda são os pais participarem desse momento, quando o adulto faz a higiene já serve de exemplo e incentivo para seu filho fazer igual, organize um ambiente adequado e seguro para a criança fazer a escovação (já houve caso da criança ter medo de cair do banquinho que subia para ficar na altura da pia, e coisas do tipo).
E um ótimo artifício é ir ao computador e assistir filmes infantis sobre escovação, sobre os cuidados da boca, mostrar a bactéria da cárie, existem vários sites bem interessantes, há até jogos onde escovam a boca ou até mesmo fazem restaurações!
Como exemplos há alguns sites:
  •    Youtube – Missão: Saúde Bucal, Volta ao Mundo do Dr Dentuço, Castelo Ra–tim-bum ratinho escovando os dentes;
  •     Colgate – tem vídeos, histórias e jogos para todas as idades!
  •    Jogos online – há varias opções de jogos de dentistas, com bactérias para remover e dentes para escovar!

E você tem alguma ideia para compartilhar? Como faz para deixar esse momento divertido e interessante para seu filho?

Como viajar e manter a saúde bucal? [Colunista – Odontopediatra]

Por Daiana Hahn
Passando pelas férias escolares e aproveitando para viajar, surge uma preocupação: como cuidar dos nossos dentes e principalmente dos dentes das nossas crianças nas viagens? Sabendo que não é viável sairmos carregando escova, pasta e fio dental na bolsa fica umas dicas para amenizar essas situações mantendo a saúde bucal e aproveitando a viagem!
Primeiramente seria ingerir mais água e procurar evitar comer as chamadas “besteiras” como chocolates e salgadinhos, opte por lanches mais saudáveis como frutas e sucos naturais, aliás todo corpo agradece!
Para os adultos e as crianças que já sabem mascar chicletes, há varias opções que nos ajudam em situações onde não teremos como realizar escovações, como exemplo o trident, que é uma goma de mascar com xilitol na sua fórmula, substância essa responsável por reduzir o número de bactérias, e ainda o fato de mascar estimula a salivação que é nossa proteção natural e ajuda a neutralizar os ácidos no ambiente bucal.
E para os bebês e crianças menores tem como opção higienizar os dentes com uma gaze ou fraldinha, friccionando em todos os dentes, pois esse atrito ajudará a remover o acúmulo de alimentos e da placa bacteriana. Há também na indústria internacional os Moisten Wipe with xylitol, um lencinho descartável umedecido com xilitol, que facilita muito pela praticidade e ainda reduz o número de bactérias, nos ajudando no controle da cárie.
        

                   



 No Brasil achei apenas um site de São Paulo que vende o produto: http://www.formulaeacao.com.br/2010/loja-produtos.asp?iID=89

Mas lembre-se! Essas são ideias para nos ajudar na higiene em algumas situações de passeios, assim que for possível devemos realizar a higiene completa com fio dental e bastante escovação para conseguirmos evitar a cárie!!

Cárie: a doença silenciosa! [Colunista – Odontopediatra]

Sim, é de assustar! 
Por Daiana Hahn
Vamos falar de um assunto um pouco batido, mas infelizmente com grande frequência no consultório!

Quando comemos, as bactérias que existem na nossa boca, se alimentam também e produzem um ácido, esse ambiente ácido produz outras bactérias, e assim se acumulam formando um depósito de resíduos chamado de placa bacteriana.

Essa placa quando depositada nos dentes provoca uma perda de minerais, iniciando o processo da cárie, que começa com uma mancha branca, evolui para uma mancha castanha e até se tornar uma cavidade.

Por isso a importância em escovar os dentes toda vez que comemos! A ideia dada pela mídia de escovar os dentes três vezes por dia nem sempre é suficiente, principalmente em crianças que estão sempre comendo! Por exemplo, uma criança que come sete vezes no dia e escova três vezes, terá quatro refeições sem escovações, isso resulta em mais vezes sem escovar que escovando, podendo resultar em cárie. Claro que também irá depender do tipo de alimentos ingeridos, principalmente os carboidratos e os açúcares. 

Lembrar que o início de cárie não dói! É uma doença silenciosa, isso mesmo, uma doença!

Por isso devemos realizar controles com frequência na Odontopediatra!


Troca dental [Colunista – Odontopediatra]

Por Daiana Hahn

Olá!!
No post anterior falei sobre como e quando erupcionam (nascem) os dentes de leite, agora quero falar de uma fase bem importante: a troca dental!!!
Ela ocorre em duas etapas:
A primeira acontece entre o período de 5 a 8 anos de idade, quando temos a troca dos dentes incisivos (da frente) superiores e inferiores e ainda erupcionam os primeiros molares permanentes sem que haja troca!! Ai esta o perigo!! Eles nascem escondidos lá atrás e ainda demoram bastante para entrar na linha da oclusão (mordida) onde se tornam mais visíveis e assim com mais acesso a escovação. Toda essa situação é um prato cheio para a bactéria da carie fazer a festa!! Uma dica interessante para usar nessa fase é a escova unitufo, especial para escovação dos molares!
Após todas essas novidades entramos em um período de dentição mista, onde há dentes decíduos e dentes permanentes juntos sem que haja mais trocas.
A segunda fase só ocorre por volta dos 10 aos 12 anos de idade, onde esfoliam (trocam) os dentes molares e caninos de leite e nascem lá atrás os segundos molares permanentes, que não são os dentes sisos. Assim a dentição permanente se torna completa.