Colar de Âmbar

SEREIA

foto de: https://www.facebook.com/babitatifotografias/

Em várias fotos a Lara aparece com o colar de âmbar e muita gente acaba me perguntando qual a função dele, por isso resolvi falar de como ele me ajudou, assim quem sabe ele possa ajudar outras mamães por ai! 
Quando o primeiro dente da Lara começou a rasgar foi um caos, febre, muita diarreia, muita choro na madruga, muita irritação e aqueles litros de baba por segundo.

Já conhecia o colar de âmbar da creche em que trabalhei e confesso que nunca acreditei muito nele. No desespero de querer fazer algo para ajudar comprei o colar, naquela ideia de que se bem não fizer mal também não ia fazer.
Quando coloquei o colar a primeira mudança que percebi foi que ela parou de babar, não é que diminuiu, ela parou! Confesso que fiquei procurando as melhorias e não percebi, até que precisei tira-lo uns dias, depois que entrei com ela piscina e não sabia q não podia, tirei para energizar e acabei esquecendo de colocar de novo, ela ficou uns três dias sem, E??? Ela voltou a ficar muito irritada, a chorar bastante e a babar muito, o sono ficou super agitado e todo aquele caos voltou! A mãe de uma coleguinha de natação da Lara me falou que se o colar entra em contato com muito cloro ele cria uma película em volta das pedras que acaba por não ter mais contato com a pele da criança, lembrando que é quando a “pedra de âmbar entra em contato com a pele do bebê, que as pedras se aquecem e liberam quantidades minúsculas do ácido succínico no corpo.” Ele é considerado um antiflamatório natural e Por isso o acessório auxilia especialmente durante a fase de dentição, por aliviar dores e desconfortos como inchaço da gengiva e febre.” Porem não existe comprovações cientificas sobre seus benefícios, mas os relatos sobre ele são sempre muito positivos.

outro ponto positivo para o colar foi em relação ao refluxo da Lara, fizemos tudo que a pediatra recomendou, os remédios não ajudavam, trocamos o leite (ela tomava formula), e nada parecia ajudar muito. Tinhamos dias bem ruins, tudo que ela comia voltava e aquilo me deixava desesperada. Nesse meio tempo o colar chegou e depois de um tempo, bastante tempo para ser sincera, percebi que o refluxo tinha diminuído muito, tínhamos dias tão bons que eu esquecia do refluxo. coincidência ou não eu não sei, mas depois da chegada do colar as coisas melhoraram muito por aqui!

Como tudo na maternidade cada um acaba por ter a sua experiência com as coisas e aqui na minha casa, com a minha cria a experiência foi ótima, super recomendo! Hoje eu só tiro o colar p/ natação e coloco de novo! ela mal mexe nele, acho que já acostumou.

O colar da Lara é o mel, mas existem outros tipos com outras tonalidades e com outras pedrinhas diferentes, mas o efeito é o mesmo!

AHHH e tem que cuidar que tem muuuuito colar falso por ai, algumas maneiras de testar a veracidade da pedra é Colocando uma ou duas gotas de álcool em uma das partes do colar. Se alterar a cor, não é âmbar; Fazer uma mistura de água e sal, coloque o colar de âmbar, se boiar, é autêntica. (isso que faço quando esqueço e coloco a Lara na piscina com ele) ou testar a temperatura do colar o âmbar é morno ao toque, bem diferente das imitações de vidro, os de vidro acabam sendo mais frios.

E por ai, o colar ajudou? Como foi a experiência de vocês com ele?

Bejinhos Gi :*

Anúncios

Relato/Depoimento parto da Renata Juglair – Nascimento Theo 26/04/13 [Colunista – Doula]

Hoje, no dia que minha filha completa 3 anos, quis que a Cris colocasse um relato de parto que poderia ter sido o meu… queria muito ter tido um parto normal, mas por não ter uma doula me acompanhando(opnião minha) isso não se concretizou… ou não era pra ter sido mesmo. E esse relato da Renata lembra muito o início do meu TP… as dores e eu falando não aguento mais… quero a cesária… e eu fui! Fiquem com esse relato lindo e inspirador! Parabéns Renata! Um lindo dia primeiro de agosto a todos! Beijos Patty


“Cris, já escrevi e reescrevi tantas vezes esse relato, mas não tinha a essência do teu trabalho que foi a parte mais importante do meu TP. Já cansada e com muitas dores você foi essencial para o Theo vir ao mundo de forma humanizada. 
Cheguei na maternidade já sem dormir há 1 noite, tendo comido pouco, e vomitando, por causa das contrações que haviam iniciado na noite anterior, e quando você chegou eu estava com 5 cm e a tua cara de felicidade!! Infelizmente as dores ficaram muito fortes, e o cansaço me venceu, e acabei pedindo analgesia. Por um lado tive 1 hora e meio de descanso, mas por outro atrasou a dilatação e o Dr. Fernando sugeriu ocitocina. 
Quando o efeito da analgesia passou, eu já estava na partolândia, e não lembro de muita coisa, foi realmente muito intenso, lembro que você me fazia rebolar entre uma contração e outra, e agachar e fazer força durante a contração, e que se não fosse meu marido me levantando e me abaixando eu não teria força alguma para isso… ele me levantava e me abaixava, e eu só sentia muita dor, falei que não sabia mais o que era contração e o que não era, pois sentia dor o tempo inteiro… 
Lembro que ia da banheira para a cama, da cama para o chão para agachar e rebolar, do chão para o chuveiro… Lembro do espelhinho e como eu queria que o Theo mostrasse a cabecinha…. lembro do Dr. Fernando falando que já dava para sentir a cabeça dele. Lembro muito muitode você me dando forças: Renata vc consegue!! Renata, é o Theo vindo, deixa ele vim!!
 E lembro do sentimento de nunca mais querer ter filhos… E lembro exatamente da hora que eu falei que não conseguiria mais e que queria cesárea, o que fosse… e você, linda como sempre disse que cesárea não tinha mais como, que agora era fazer força ou fazer força. 
Lembro do Dr. Fernando falando para você trocar a agua da banheira enquanto eu ficava no chuveiro rebolando na bola… Lembro que a essa altura eu só queria a banheira pronta pois não aguentava mais a dor… E lembro que enquanto eu estava no chuveiro você preparou toda a sala de parto, apagou as luzes, acendeu velas… e a lua cheia ajudando a iluminar tudo…
Lembro que já eram 4 horas da manhã pois estava na hora de tomar o antibiótico, e as enfermeiras não conseguiam colocar o cateter, achavam a veia, vinha a contração e a veia estourava… e lembro de ouvir o Dr. Fernando falando para elas deixarem que ele já ia nascer… 
Lembro de quando estava na banheira eu senti aquela vontade de fazer força, mas não dor… A dor aí já era consequência… e comecei a sentir queimação na região do períneo, aí tiver certeza que era hora de fazer força. O Caio entrou comigo na banheira e me segurava na hora de fazer força… Foi quando você disse que o Theo estava vindo, para que eu fizesse força aos poucos agora para não sair de uma vez e não ter laceração no períneo… Mas nessas hrs a gente não pensa na quantidade de força que vai fazer, faz a maior força do mundo… E a cabecinha dele saiu! Queimando tudo, mas foi um momento muito especial!!Eu não acreditava que realmente tinha conseguido… Agora era só esperar a próxima contração para sair o corpinho… demorou um pouquinho com a cabecinha dele para fora, você colocou a mão e disse que ele já estava virando… foi quando veio aquela vontade de fazer força de novo e ele saiu!
Meu Deus!! O que era aquilo!! Um neném!! Saiu de dentro de mim nadando!! Virou e abriu os olhinhos para nos ver!!Você e o Caio o pegaram, estava todo enrolado no cordão, e vocês desenrolaram, e eu não acreditava, nem percebia, ele estava no meu colo e era tudo que importava… Depois de um tempo nos ajudou a sair da banheira, e nos deitou na cama, o Theo sempre no meu colo, o dr. Fernando deu o cordão para o Caio sentir quando parasse de pulsar, o Caio cortou o cordão, e logo veio a cólica para expulsão da placenta… bom depois disso são apenas detalhes, o Theo estava em meus braços e não tenho palavras para agradecer o teu trabalho, de me fazer acreditar na minha força como mulher e em todo apoio durante todo o tempo.
 Sempre que me recordo do parto não consigo me imaginar passando por tudo isso sem você ao meu lado… Cris, o Caio e eu só temos a agradecer a força que nos deu no momento mais especial das nossas vidas. Muito obrigada por tudo! E para todas as grávidas, uma doula faz toda a diferença, dando apoio e nos fazendo acreditar em nós mesmas!”
Renata Juglair