Bem vindas: Camilla e Natália! [Despedida da Patty]


É assim que me sinto hoje. Como se parte do coração estivesse indo embora. Neste post me despeço. Um até logo, talvez. Existe um momento da vida que devemos tomar decisões, e garanto que essa não foi fácil.

Com o Roteiro Baby Floripa nesses três anos, muitos dos leitores tornaram-se amigos. Pude conhecer muitas pessoas, muitas histórias. Um mundo de coisas que jamais imaginei que existe. Mudou meus pensamentos e meus atos. E com isso no dia a dia, tentava sempre espalhar uma sementinha por aí. Muitas nasceram.

E nesse tempo o blog, que surgiu sem grandes pretensões, foi crescendo, muito mais que esperava. Até que não coube mais no meu dia a dia.

Isso me deixou com muitas dúvidas! O que fazer? E a melhor resposta que consegui pensar foi passá-lo para mãos que continuariam esse trabalho. Que continuassem a levar informações que ajudem as famílias, que tragam mais qualidade de vida às famílias com crianças.

E nesse caminho de muitas pessoas maravilhosas que encontrei, elas estavam lá. Camilla e Natália, que acredito que muitos leitores já conhecem, passarão a ser as responsáveis pelo Roteiro Baby Floripa.

E com um sentimento misto de alegria e tristeza que me despeço de todos. Coração apertado, lágrimas correm em meu rosto.

Sou imensamente grata a todos que de alguma forma participaram do blog nesse tempo. Grata pelos colunistas que acreditaram no projeto e de mãos dadas construímos o RBFloripa que é hoje. Grata a todos os parceiros que acreditaram que o Roteiro Baby Floripa seria um sucesso.

Gratidão.

Beijos Patty 
Desconheço o autor

Anúncios

15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz


Essa lista é uma tradução, o texto original e em inglês é do World Observer Online.
Sabe aquelas coisas que devemos ler sempre? Esse texto, pra mim, deveria ser leitura diária. Beijos Patty
1. Desista da sua necessidade de estar sempre certo
Há tantos de nós que não podem suportar a ideia de estarem errados – querem ter sempre razão – mesmo correndo o risco de acabar com grandes relacionamentos ou causar estresse e dor, para nós e para os outros. E não vale a pena, mesmo. Sempre que você sentir essa necessidade “urgente” de começar uma briga sobre quem está certo e quem está errado, pergunte a si mesmo: “Eu prefiro estar certo ou ser gentil?” (Wayne Dyer) Que diferença fará? Seu ego é mesmo tão grande assim? 

2. Desista da sua necessidade de controle
Estar disposto a abandonar a sua necessidade de estar sempre no controle de tudo o que acontece a você e ao seu redor – situações, eventos, pessoas, etc. Sendo eles entes queridos, colegas de trabalho ou apenas estranhos que você conheceu na rua – deixe que eles sejam. Deixe que tudo e todos sejam exatamente o que são e você verá como isso irá o fazer se sentir melhor.
“Ao abrir mão, tudo é feito. O mundo é ganho por quem se desapega, mas é necessário você tentar e tentar. O mundo está além da vitória.” Lao Tzu
3. Pare de culpar os outros
Desista desse desejo de culpar as outras pessoas pelo que você tem ou não, pelo que você sente ou deixa de sentir. Pare de abrir mão do seu poder e comece a se responsabilizar pela sua vida.
4. Abandone as conversinhas auto-destrutivas
Quantas pessoas estão se machucando por causa da sua mentalidade negativa, poluída e repetidamente derrotista? Não acredite em tudo o que a sua mente está te dizendo – especialmente, se é algo pessimista. Você é melhor do que isso.
“A mente é um instrumento soberbo, se usado corretamente. Usado de forma errada, contudo, torna-se muito destrutiva.” Eckhart Tolle
5. Deixe de lado as crenças limitadoras sobre quem você pode ou não ser, sobre o que é possível e o que é impossível. De agora em diante, não está mais permitido deixar que as suas crenças restritivas te deixem empacado no lugar errado. Abra as asas e voe!
“Uma crença não é uma ideia realizada pela mente, é uma ideia que segura a mente.” Elly Roselle
6. Pare de reclamar
Desista da sua necessidade constante de reclamar daquelas várias, várias, váaaarias coisas – pessoas, momentos, situações que te deixam infeliz ou depressivo. Ninguém pode te deixar infeliz, nenhuma situação pode te deixar triste ou na pior, a não ser que você permita. Não é a situação que libera esses sentimentos em você, mas como você escolhe encará-la. Nunca subestime o poder do pensamento positivo.
7. Esqueça o luxo de criticar
Desista do hábito de criticar coisas, eventos ou pessoas que são diferentes de você. Nós somos todos diferentes e, ainda assim, somos todos iguais. Todos nós queremos ser felizes, queremos amar e ser amados e ser sempre entendidos. Nós todos queremos algo e algo é desejado por todos nós.
8. Desista da sua necessidade de impressionar os outros
Pare de tentar tanto ser algo que você não é só para que os outros gostem de você. Não funciona dessa maneira. No momento em que você pára de tentar com tanto afinco ser algo que você não é, no instante em que você tira todas as máscaras e aceita quem realmente é, vai descobrir que as pessoas serão atraídas por você – sem esforço algum.
9. Abra mão da sua resistência à mudança
Mudar é bom. Mudar é o que vai te ajudar a ir de A a B. Mudar vai melhorar a sua vida e também as vidas de quem vive ao seu redor. Siga a sua felicidade, abrace a mudança – não resista a ela.
“Siga a sua felicidade e o mundo abrirá portas para você onde antes só havia paredes” Joseph Campbell
10. Esqueça os rótulos
Pare de rotular aquelas pessoas, coisas e situações que você não entende como se fossem esquisitas ou diferentes e tente abrir a sua mente, pouco a pouco. Mentes só funcionam quando abertas.
“A mais extrema forma da ignorância é quando você rejeita algo sobre o que você não sabe nada” Wayne Dyer
11. Abandone os seus medos
Medo é só uma ilusão, não existe – você que inventou. Está tudo em sua cabeça. Corrija o seu interior e, no exterior, as coisas vão se encaixar.
“A única coisa de que você deve ter medo é do próprio medo” Franklin D. Roosevelt
12. Desista de suas desculpas
Mande que arrumem as malas e diga que estão demitidas. Você não precisa mais delas. Muitas vezes nos limitamos por causa das muitas desculpas que usamos. Ao invés de crescer e trabalhar para melhorar a nós mesmos e nossas vidas, ficamos presos, mentindo para nós mesmos, usando todo tipo de desculpas – desculpas que, 99,9% das vezes, não são nem reais.
13. Deixe o passado no passado
Eu sei, eu sei. É difícil. Especialmente quando o passado parece bem melhor do que o presente e o futuro parece tão assustador, mas você tem que levar em consideração o fato de que o presente é tudo que você tem e tudo o que você vai ter. O passado que você está desejando – o passado com o qual você agora sonha – foi ignorado por você quando era presente. Pare de se iludir. Esteja presente em tudo que você faz e aproveite a vida. Afinal, a vida é uma viagem e não um destino. Enxergue o futuro com clareza, prepare-se, mas sempre esteja presente no agora.
14. Desapegue do apego
Este é um conceito que, para a maioria de nós é bem difícil de entender. E eu tenho que confessar que para mim também era – ainda é -, mas não é algo impossível. Você melhora a cada dia com tempo e prática. No momento em que você se desapegar de todas as coisas, (e isso não significa desistir do seu amor por elas – afinal, o amor e o apego não têm nada a ver um com o outro; o apego vem de um lugar de medo, enquanto o amor… bem, o verdadeiro amor é puro, gentil e altruísta, onde há amor não pode haver medo e, por causa disso, o apego e o amor não podem coexistir), você irá se acalmar e se virá a se tornar tolerante, amável e sereno… Você vai alcançar um estado que te permita compreender todas as coisas, sem sequer tentar. Um estado além das palavras.
15. Pare de viver a sua vida segundo as expectativas das outras pessoas
Pessoas demais estão vivendo uma vida que não é delas. Elas vivem suas vidas de acordo com o que outras pessoas pensam que é o melhor para elas, elas vivem as próprias vidas de acordo com o que os pais pensam que é o melhor para elas, ou o que seus amigos, inimigos, professores, o governo e até a mídia pensa que é o melhor para elas. Elas ignoram suas vozes interiores, suas intuições. Estão tão ocupadas agradando todo mundo, vivendo as suas expectativas, que perdem o controle das próprias vidas. Isso faz com que esqueçam o que as faz feliz, o que elas querem e o que precisam – e, um dia, esquecem também delas mesmas. Você tem a sua vida – essa vida agora – você deve vivê-la, dominá-la e, especialmente, não deixar que as opiniões dos outros te distraiam do seu caminho.

Conflitos conjugais e suas influências na vida dos filhos [Colunista – Psicóloga]

Terapeutas e estudiosos de família assinalam que o casal é o arquiteto da família. Assim, quando um casal vive crises conjugais, é inevitável que os filhos e a família como um todo percebam, sintam e ressintam-se com tal situação. Porém, é possível encontrar formas menos prejudiciais para a família atravessar estes momentos de crise.
A separação conjugal e o divórcio têm um impacto importante na reorganização da vida familiar, ao nível da sua estrutura, funcionamento e relações entre os seus membros. É fundamental que os filhos recebam dos pais as explicações adequadas acerca da separação deles, pois isto lhes auxiliará a compreender e a lidar melhor com a situação, bem como contribuirá para o seu bem-estar emocional.
Os pais em conflito conjugal costumam apresentar alguns álibis, tais como: colocar a culpa no outro cônjuge, desqualificar, desdenhar, envolver o filho no conflito do casal, enfim, atitudes estas prejudiciais para o entendimento e vivência dos filhos neste processo de separação.
No processo de divórcio, é fundamental deixar os filhos fora do conflito conjugal, deixando claro para eles que quem se separa é o par amoroso, o casal conjugal – o casal parental continuará para sempre com as funções de cuidar, de proteger e de prover as necessidades materiais e afetivas dos filhos. É importante que os pais lembrem que aquela pessoa por quem neste momento de crise sentem raiva, mágoa ou desejo de vingança, é muito importante na vida do filho.
Nestes momentos de crise intensa do casal, criar redes de apoio emocional para os filhos é uma boa alternativa, pois a atenção maior dos avós, conversar com professores na escola, apoio psicológico, facilitar encontros com amigos, podem aliviar o estresse dos filhos e consequentemente, tornarem mais saudável este processo para a família toda.
Os filhos sofrem com as dificuldades dos pais, estejam eles casados ou separados, e assim, o que leva os filhos ao adoecimento, não é a separação dos pais, mas a forma como estes se relacionam entre si e com os filhos.
Flavia Lisboa Ramos
Psicóloga – CRP 12/12594
Mariana Effting de Sousa

Psicóloga – CRP 12/12595

Ser para poder passar [Colunista – Psicóloga]

Os pais tem um desejo em comum: que o filho (a) seja feliz! Como fazer que esse desejo se transforme em realidade? É preciso que os pais busquem e encontrem o seu próprio bem, a sua felicidade. As emoções dos pais passam para os filhos através das palavras, dos comportamentos, pela energia e pelo clima psicológico que cerca a criança.
Os pais são os primeiros espelhos para os filhos. Seu filho aprenderá a lidar com suas emoções, seus conflitos, suas conquistas através da forma que você lida com as suas. Aprender a domar seus impulsos e sentimentos é importante para que seus filhos também aprendam.
A autoestima dos filhos está diretamente ligada à autoestima dos pais. Crianças valorizam a si mesmas, na medida em que foram valorizadas. Quanto mais os pais enxergam suas dificuldades, mas podem identificá-las e trabalhá-las em si mesmos e em seus filhos.
Auxiliar os pais a lidarem com suas inseguranças, responsabilidades, emoções e com a emoção de seus filhos, é essencial para promover um clima harmonioso, que propicie o desenvolvimento das potencialidades de ambos. Pais que compreendem esse ciclo descobrem maneiras de auxiliar seu filho a crescer e se desenvolver de maneira sadia.
Indicação de leitura:
Autoestima do seu filho – Dorothy C. Briggs
Mariana Effting de Sousa
Psicóloga – CRP 12/12595
Flavia Lisboa Ramos
Psicóloga – CRP 12/12594

Luna e o Furão Trapalhão [Entretenimento – Teatro]




Luna e o Furão trapalhão é uma Paródia do Show da Luna que irá divertir a todos. Com figurinos mágicos e cenários muito bem desenhados. Toda a família pode se encantar ao desvendar grandes duvidas que irão surgir na cabeça dos personagens.


Luna é uma menina muito curiosa que tenta através da ciência resolver varias questões do dia-a-dia de um jeito muito divertido, e com a ajuda do seu irmão e furão de estimação a trapalhada é certa.

Serviço
O quê: Luna e o Furão trapalhão
Quando: 25 e 26 de abril
Horário: 16:30h
Onde: Teatro Pedro Ivo
Ingressos a venda: no Bluetick ou na bilheteria do teatro com lugares marcados.

Show da Luna [Entretenimento]


♪♫ Eu quero saber porque o gato mia
verde por fora, vermelho por dentro, é a melancia
eu quero saber
não quero dormir
o que está acontecendo, eu vou descobrir

Eu quero saber pra que que serve a lua
Eu tenho tantas perguntas, porque a pulga pula
eu quero saber
não quero dormir
o que está acontecendo eu vou descobrir ♪♫

“O Show da Luna! (em inglês: Earth to Luna!) é uma série de TV de animação brasileira, criada e dirigida por Célia Catunda e Kiko Mistrorigo, produzida por Ricardo Rozzino, da TV Pingüim, que estreou no canal americano Sprout, da NBC, em 16 agosto de 2014. No Brasil, ela fez sua estréia em 13 de outubro de 2014 pelo canal Discovery Kids. 
A série mostra as aventuras de uma menina de 6 anos de idade que ama a ciência. A primeira temporada tem 52 episíodos com duração de 15 minutos cada. O público alvo são crianças na faixa dos 3 aos 5 anos .”
Vocês já conhecem?? Aqui somos fã! Sim somos, pois a mamãe aqui que adora desenho, ficou fã da Luna. Com uma menina super curiosa em casa como a Luna, adoramos descobrir com a Luna como as coisas acontecem.
“A série gira em torno de Luna, uma garota de 6 anos que ama ciências, e que acredita que a Terra é um enorme laboratório aonde ela pode descobrir diversas curiosidades. Curiosa e destemida, Luna não sossega até conseguir responder a pergunta: “Por que isso está acontecendo?”. A cada episódio, uma curiosidade é abordada, seja no quintal da casa de Luna ou na praia, aonde sem saber, Luna, seu irmão mais novo, Júpiter, e o furão de estimação da família, Cláudio, praticam ciência diariamente, formulando hipóteses e fazendo experimentos. Criativa, Luna utiliza sua imaginação para descobrir suas diversas dúvidas durante cada episódio.”

Conheça os personagens:

Luna é uma menina extrovertida e cheia de vida, que adora estudar e descobrir as coisas fascinantes do nosso mundo. Muito curiosa e persistente, ela sempre carrega um caderno de notas e o AHA, uma mistura de câmera, computador, lupa e caixa de som.

O trio não poderia estar completo sem Júpiter, o irmãozinho de três anos de Luna. Ele sempre tem uma explicação mágica para os mistérios da ciência e não perde uma aventura por nada.
Cláudio é o bichinho de estimação de Luna, um furão que a acompanha em suas pesquisas científicas. Ele consegue expressar seus sentimentos e ideias por meio de gestos, expressões, grunhidos e ruídos estranhos.

O desenho passa no Discovery Kids, aqui você pode conferir o horário.
Adoro desenho, e quando eles ensinam coisas boas, melhor ainda concordam?
Fica a dica de hoje, beijos Patty

Fonte: Wikipédia e Discovery Kids

Frozen uma trapalhada no neve [Entretenimento]


“A Plateia Mirim tem o prazer de apresentar essa incrível e divertidíssima paródia de um dos grandes sucessos do cinema, encantaremos toda a família com efeitos especiais de luzes e som além dos figurinos fantásticos dos personagens.

Jana tem uma difícil missão e com a ajuda de seus amigos Cristovão e Svaim vão atrás de Gelza que sem ter controle dos seus poderes acabou congelando todo o seu reino, e fugiu para as montanhas. No meio do caminho encontram Olavo que se junta a turma que estão atrás de Gelza e em diversas trapalhadas Jana, Cristovão, Olavo, Sveim, acabam tornando essa missão uma verdadeira comédia.”

Lembrando que não é a mesma peça da outra vez da Mastery Produções, mesmo senda da mesma produtora. 
Apresentações no Teatro Pedro Ivo nesse final de semana:
Sábado e domingo às 16:30h 

A Dora cresceu! Dora e seus amigos na cidade [Entretenimento]

Quem conhece a Cecília sabe que ela ADORA a Dora Aventureira, e agora a Dora cresceu! Nessa série, Dora vai para escolar e mora na cidade de Playa Verde. Junto com as meninas exploradoras e Pablo, Dora e amigos irão trabalhar juntos e ir em aventuras incríveis enquanto desvendam os segredos da cidade. Dora possui um bracelete mágico e um smartphone completo com o aplicativo do Mapa para ajuda-lá. Sim, a Dora cresceu, se modernizou  e continua em aventuras mágicas! Ela usa suas habilidades em resolver problemas para descobrir novidades sobre sua cidade, seus amigos e em duas línguas. Música, cantora, atleta e estudante dedicada, Dora tenta encontrar novas maneiras de dar coisas em troca para a sua família e comunidade. Como sempre, Dora é uma garota ativa e pronta para qualquer aventura!
Conheça seus novos amigos:

Alana: Atleta, confiante, bilingue e ótima jogadora de futebol, Alana é popular na escola mas nunca deixa isso fazer com que pare de ser legal com as pessoas. Alana é técnica de um time de futebol americano, ama os animais e é voluntária num centro de adoção de animais. Alana também tem um talento secreto: ela é uma chef de cozinha gourmet e adora experimentar comidas exóticas.
Emma:é a estrela da banda da escola. Ela toca violino, piano, violão e canta em duas línguas! Ela também trabalha com a banda infantil para ensiná-los como tocar bem assim como ela. Ela se dedica na música e na escola, mas seus amigos sempre podem contar com ela para viver aventuras. Emma vai a qualquer lugar com seus amigos, mas é no palco que ela brilha mais!
Kate: ama cantar, dançar, atuar e ter a atenção voltada para ela sempre que possível! A artista Kate é conhecida na escola por sua personalidade colorida. Ela gosta de ler histórias e livros com Dora, mas ela também adora criar suas próprias histórias, escrevendo peças para as crianças da vizinhança e vestindo-se com figurinos.
Naiya: é uma das meninas mais inteligentes da escola e ótima em resolver quebra-cabeças. Ela é um gênio em matemática, ciências e em aprender novas línguas. Ela ama estudar as estrelas no céu durante a noite e o meio ambiente ao seu redor. Naiya ama a cidade Playa Verde e conhece toda a sua história (e também vários segredos).
Pablo: Amigo de classe da Dora, Pablo é um dos melhores amigos dela na cidade. Ele é cheio de energia, esperto e consegue resolver qualquer problema, mesmo que seja sem querer. Pablo está sempre disponível e animado para juntar-se à Dora em suas aventuras, mas ele se distrái facilmente. Mas, o amigo bilingue de Dora está sempre pronto para aventuras.
Se seu filho gostava da Dora, vai amar as novas aventuras. A Cecília já aprovou os novos episódios!
Espero que aprovem por aí também!
Beijos Patty

Seguem links com guia das programações, lembrando que a Dora passa no canal da tv fechada Nick Jr e no Nickelodeon só passa os alguns desenhos do Nick Jr das 7h às 9h. 
Nick Jr 
Nickelodeon

Mais informações de Dora e seus amigos na cidade aqui.

ASPECTOS PSICOLÓGICOS DA AMAMENTAÇÃO [Colunista – Psicólogo]

imagem Vila Mamífera
      O processo de amamentação não tem como única função nutrir o bebê biologicamente, mas também e com igual importância favorecer a aquisição de segurança, bem estar, afetividade, além de fortalecer o vínculo entre mãe-filho.
A mãe é o primeiro contato da criança com o mundo e a amamentação é o momento de receber, sentir satisfação, sentir-se aceito, amado e interagir com esse mundo, minimizando o efeito traumático da separação provocada pelo parto.
O contato físico durante a amamentação, desperta na criança sensações de prazer, aconchego e possibilita alcançar mais plenamente suas potencialidades.
Ele é capaz de sentir as emoções da mãe, estando no seio ou com uma mamadeira. Por isso é tão importante manter o ambiente harmônico, um estado emocional equilibrado e a mãe com sua atenção inteiramente voltada para o bebê. A qualidade dessa interação exercerá influência em todos os outros vínculos estabelecidos futuramente pela criança.
Sabe-se que algumas emoções da mãe podem afetar o bebê, tanto positiva quanto negativamente. Fantasias, medos, ansiedade e outros sentimentos que aparecem nesse período podem ser aliviados através de aconselhamento psicológico aos pais, despertando sentimentos de autoconfiança e satisfação emocional, ampliando e fortalecendo a ligação eterna entre mãe-bebê.
Verlane Puel

Psicóloga CRP 12/00493


Mariana Effting de Sousa

Psicóloga CRP 12/12595

Sugestões de leituras:

Psicologia da Gravidez, Parto e Puerpério – Maria Tereza P. Maldonado

A autoestima do seu filho – Doroty Corkille Briggs
Anahata Instituto de Desenvolvimento Humano – CRP 12/000023PJ
Avenida Elza Luchi, 143
Palhoça – SC – Fone: (48) 3242-1179

O desenvolvimento da autoestima na criança [Colunista – Psicóloga]

A autoestima é a maneira pela qual a pessoa se sente em relação a si mesma, é o juizo que faz de si, é um autoconceito, o qual vem sendo construído desde os primeiros anos de vida.
Os pais são os primeiros espelhos para os filhos, e os reflexos positivos ou negativos que lhes transmitem são constituintes da sua personalidade e também da sua autoestima.
A criança nos primeiros anos estará absorvendo todos os gestos, sentimentos e ações à sua volta e os pais são sua principal influência, para o bem ou para o mal.
Com o crescimento e novas experiências, geralmente esse autoconceito vai se transformando, a criança vai reagindo, mas os aprendizados iniciais ficam armazenados na memória e se manifestam inconscientemente.
Para que a criança possa sentir-se adequada e bem interiormente, necessita de experiências de vida que lhe comprovem que tem valor e é digna de ser amada. Não basta apenas falar à criança que ela é especial, a vivência e a linguagem não verbal são componentes essenciais.
Atitudes que podem promover uma autoestima positiva na criança:
– desenvolver um clima relacional familiar harmonioso;
– ter coerência no discurso e em suas ações;
– respeitar a individualidade da criança, evitando as comparações positivas ou negativas;
– evitar a superproteção, pois a linguagem subliminar transmitida nestes casos é de incapacidade;
– os elogios excessivos podem torná-la insegura;
– mostrar apreciação ou adimiração pelas coisas que ela faz;
– destacar seus pontos fortes. A mente registra o que é comunicado repetitivamente;
– ouvir a criança e evitar críticas destrutivas;
Estas são apenas algumas formas de contribuir para a construção de uma autoestima saudável, mas o mais importante é ela sentir-se amada e respeitada pelo que é.
Sintomas que evidenciam uma autoestima negativa:
– insegurança;
– timidez;
– necessidade de chamar atenção a todo instante;
– depreciação de si mesma;
– dificuldade nos relacionamentos;
– medo do abandono ou de rejeição; entre outros.
“A autoestima está na esfera das emoções, e como nossas emoções são à base de tudo, se não houver uma estrutura emocional, não há relacionamento afetivo ou profissional que sobreviva. Experiências positivas que envolveram apoio mútuo, amor e compreensão propiciam o desenvolvimento da autoestima saudável, enquanto as negativas, como rejeição, abandono ou excesso de críticas, influenciam a autoestima de forma destrututiva.” Rosemeire Zago
Para uma vida saudável, é fundamental uma autoestima positiva. Isso reflete diretamente na nossa capacidade de lidar com os desafios no percurso de nossa existência. 
Verlane Puel
Psicóloga, CRP 12/000493
Mariana Effting de Sousa
Psicóloga, CRP 12/12595
Sugestões de leituras:
A autoestima do seu filho – Doroty Corkille Briggs
Pais & Filhos: uma relação delicada – Solange Maria Rosset
O livro da criança – Osho

Anahata Instituto de Desenvolvimento Humano – CRP 12/000023PJ
Avenida Elza Luchi, 143              Palhoça – SC             Fone: (48) 3242-1179