[Blogagem coletiva] 10 mudanças para as famílias viajarem mais pelo Brasil – Especial Floripa

O grupo que participo no facebook Viagens em Família lança a primeira blogagem coletiva de 2014! O tema não poderia ser mais oportuno: o que o Brasil precisa mudar para as famílias viajarem mais pelo Brasil? A ideia foi da Adriana Pasello do Blog Diário de Viagem , depois que muitas famílias voltaram da viagens de férias com diversas reclamações. 

Vou escrever voltado a Floripa, pois quem já veio ou mora aqui, sabe que o que a cidade tem de linda, tem de desestruturada. Pois não basta ter lindos lugares turísticos, se não há condições para desfrutá-los, isso falando de maneira geral, pois quando estamos tratando de famílias com crianças, sabemos o quão mais difícil isso se torna.
Então vamos lá!

  1. Problemas de locomoção (1) Filas! a cidade já é apelidada pelo moradores como FILANÓPOLIS. Para quem não conhece, Florianópolis tem um parte continental e outra insular. Para entrar na Ilha o acesso é através de duas maneiras ou pela ponte (carro, ônibus) ou de avião. Os principais pontos turísticos estão na Ilha de Santa Catarina (parte insular) e sempre existe grande fluxo de automóveis, que piora nos horários de pico como início da manhã e final de tarde. Para quem vem de avião, o aeroporto (péssimo por sinal, será um tópico mais abaixo) fica afastado do centro e em alguns dias, como no final de semana, pode levar mais de uma hora o trajeto até o centro da cidade. 

  2. Problema de locomoção (2) Trasporte Público quando me perguntam “você acha que consigo me virar com minha família com o transporte público?” Minha reposta é categórica: NÃO! O trasporte público está longe de ser bom para quem mora, imagina para turistas. Não temos metrô e as empresas de ônibus não tem o mínimo preparo para receber turistas, muito menos crianças. Algumas vezes utilizei com minha filha (levar o carrinho fora de cogitação uma vez tentei e me olhavam como se estivesse entrando com uma bomba), sem contar que não esperam você sentar para arrancar, um desespero. Quando fomos à Europa TUDO fizemos com o carrinho a tira colo, ônibus, metrô, na rua… aqui até andar na rua é complicado com carrinho (esse assunto já rendeu um post com depoimentos de mães de Floripa). 
  3. Problema de locomoção (3) Estradas as estradas da cidade não estão em condições excelentes, mas não são ruins. Mas o que me preocupa são as sinalizações de acesso. Nem tudo é bem sinalizado e claro para os turistas, que mesmo em tempos de GPS e Google Maps, nem sempre conseguem o melhor caminho. Acho uma falta de respeito com os motoristas.

  4. Aeroporto para quem já veio a Florianópolis de avião entende o que estou falando. Apesar de ser considerado INTERNACIONAL o nosso aeroporto é muito pequeno. No verão onde os vôos aumentam em escala, pode-se dizer que temos filas para decolagem e pousos. Dizem que esse ano ele será reformado e aumentado… assim espero. Não só pelo aumento do tamanho, mas precisamos também de banheiro melhores, banheiros familiares, banheiros com trocadores, áreas kids, praça de alimentação… 
  5. Áreas Públicas Temos alguns parques, mas são poucos. Precisamos de muito mais, áreas infantis com banheiros familiares e trocadores, além de policiamento adequados. Nas praias, áreas destinadas a famílias com crianças, chuveiros, banheiros…

  6. Restaurantes por sermos uma cidade considerada turística, nos considero paupérrimos em restaurantes de maneira geral. Restaurante amigo das crianças então, podemos contar nos dedos. O problema maior é que além de não termos opções, os que temos são de “alto nível” com valores acima da média, isso que nossos restaurantes já são considerados com valores abusivos.
  7. Hospedagem sejam eles hotel ou pousada, a maioria não está preparado para receber famílias. Uma das maiores reclamações que vemos são os quartos não preparados, nunca tinha reparado pois tenho uma filha, e quem tem dois, três filhos como faz? As diárias que já não são baratas, serão dobradas, triplicadas… Além disso, não possuem uma área especial para os pais que precisam fazer mamadeiras e comidas para seus filhos, já passei por situação de ter que dar mamadeira fria para minha filha. 

  8. Programação infantil os moradores da cidade sabem do que estou falando. Para quem mora e quer fazer algo diferente, se não quiser ir na praia e não tiver nada de diferente como um teatro (que normalmente não tem) são pouquíssimas as opções. Temos o Projeto Tamar , O Horto Florestal (longe de ser um zoo)… daí falam ah mas temos praia… e se chover?? Que tal mais cultura, temos uma história riquíssima, um folclore lindo e pouco explorado.
  9. Mais vôos para a cidade dificilmente para vir a Floripa de avião você não terá que fazer uma escala.
  10. Valores astronômicos aqui tudo é caro, palavra de moradora. Precisamos nos conscientizar que a exploração dos turistas não é legal e faz com que eles não voltem. Por exemplo, se você quiser conhecer a Ilha do Campeche, de cara terá que desembolsar R$50,00 por pessoa para a travessia que não dá direito a mais nada, a não ser ida e volta de barco a ilha. Acredito que a exploração não é exclusivo de Floripa pois ouço muito e inclusive já aconteceu com minha família começar a planejar uma viagem pelo Brasil e terminar viajando para o exterior. Porquê será?
O que esperamos com essa Blogagem é que o Brasil desperte para o que está acontecendo. Não é que as famílias não querem passear pelo Brasil, mas sim porque lá fora nos dão mais condições de passear com nossos filhos e demonstram que eles são bem vindos, coisas que não sentimos em muitos locais do Brasil. Sabemos que não será fácil, mas se é tão importante para o Brasil o turismo (para quem defende a copa) está na hora de avançarmos e nos espelhar em países de primeiro mundo, não só para criar estádios, que tal?
Deixem suas sugestões, críticas, dê sua opinião e quem sabe assim conseguiremos melhorias pois #queremosviajarpelobrasil Beijos Patty

Muitos outros blogs estão participando! Confira:

4. Claudia Rodrigues  – Felipe, o pequeno viajante: 
5. Andreza Trivillin  – Andreza Dica e Indica Disney: 
6. Thyl Guerra – Viajando com Palavras:
11. Márcia Tanikawa – Os Caminhantes Ogrotur: http://oscaminhantes.com/2014/03/queremos-viajar-mais-pelo-brasil.html
12. Karen Schubert Reimer – As Aventuras da Ellerim Viajante
14- Regeane Nicaretta- Dicas da Rege
17 – Francine Agnoletto – Viagens que Sonhamos
19 – Ana Cintia Cassab Heilborn – Travel Book Blog:
20 – Flávia Maciel – Bebê Pelo Mundo
21 – Claudia Bins – Mosaicos do Sul
http://mosaicosdosul.blogspot.com.br/2014/03/mudancas-para-as-familias-viajarem-mais.html

22 – Patrícia Tabalipa – Roteiro Baby Floripa
http://www.roteirobabyfloripa.com.br/2014/03/blogagem-coletiva-10-mudancas-para-as.html

23. Andrea Almeida Barros – Do RS para o Mundo:
http://dorsparaomundo.blogspot.com.br/2014/03/4-blogagem-coletiva-do-grupo-viagens-em.html

24. Patrícia Papp – Coisas de Mãe:
http://coisasdemae.wordpress.com/2014/03/30/mudancas-familia-viajar-brasil/

25- Susana Spotti – Viagem Simplesmente
http://viagemsimplesmente.blogspot.com.br/2014/03/mudancas-para-as-familias-viajarem-mais.html

26 – Andrea e Luciano – Malas e Panelas http://malasepanelas.com/10-mudancas-para-as-familias-viajarem-mais-pelo-brasil/

27– Patricia Longo Tayão – Viajar hei:
http://www.viajarhei.com/2014/03/mudancas-para-as-familias-viajarem-mais-pelo-brasil.html

28- Liliane Inglez – Trilhas e Cantos:
 http://www.trilhasecantos.blogspot.com.br/2014/04/10-mudancas-para-as-familias-viajarem.html

Anúncios

3 Super dicas de passeios em Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Maceió e Sumaré com crianças

Vocês já sabem que existem sete Roteiros Baby espalhados pelo Brasil, informando mamães (e papais também!) de Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Indaiatuba, Maceió, Recife e Sumaré sobre o que há de mais interessante nessas cidades, voltado para o universo infantil.

Hoje, pensando naqueles que vão ter como destino essas cidades em passeios ou até mesmo nas férias, a equipe Roteiro Baby preparou super dicas de passeios que nunca saem de moda.

Aproveitem e mostrem esse post para amigos que convivam com esse público tão especial que são as crianças e residem nessas cidades ou que pretendem visitá-las em breve! Eles vão curtir nossas dicas!


Roteiro Baby Brasília


Parque Olhos D’Água: é um dos vários parque agradáveis para frequentar em família na cidade e proporcionar às crianças o contato com a natureza e a liberdade das brincadeiras ao ar livre. É um dos mais bacanas porque é seguro, limpo, bonito, cheio de sombra (21 hectares de cerrado preservado!), tem parquinho, pista de cooper, trilhas interiores, equipamentos de ginástica, laguinho com patinhos, diversas atividades gratuitas abertas à comunidade (inclusive feiras de troca e encontros de grupos de apoio à gestante), além de local reservado para picnic.
Horário de funcionamento: das 6 às 19 horas.
Endereço: Asa Norte (entrada pela quadra 414 Norte)
Telefone: (61) 3233 8099

Livraria Cultura: as duas filiais da Livraria Cultura em Brasília (Shoppings Iguatemi e Casa Park) oferecem, semanalmente, atividades gratuitas para crianças. Duas vezes por mês, acontecem atividades bilíngues, em inglês e espanhol. E, na tentativa de alcançar o público de todas as idades, a livraria ainda promove oficinas de reciclagem, contações de histórias, aulinhas de musicalização e teatro infantil, para crianças acompanhadas dos pais.
Horário de funcionamento: o mesmo dos shopping centers.
Telefones: (61) 3410 4033 (Casa Park Shopping) e (61) 2109 2700 (Shopping Iguatemi Brasília)

CCBB: Brasília é uma das quarto capitais do Brasil que tem um Centro Cultural do Banco do Brasil – CCBB (as outras são São Paulo, Rio de Janeiro e a nossa querida Belo Horizonte!), onde são oferecidos, anualmente, exposições, peças, filmes e outros eventos culturais. Grande parte da programação tem classificação livre e o edifício é cercado por um agradável jardim, que abriga quatro estruturas de metal gigantes e interativas (Navete, Lagarta, Colmeia e Casulo, que dá nome ao projeto), do artista Darlan Rosa, projetada para crianças e adolescentes se divertirem.
Endereço: SCES, Trecho 2, Lote 22
Telefone: (61) 3108 7600

Roteiro Baby BH


Circuito Cultural Praça da Liberdade: é o maior conjunto integrado de cultura do Brasil. Formado pelos museus e espaços culturais que ficam ao redor de uma das praças mais famosas da cidade, atraem os olhares de todos que passam por lá com seus imponentes prédios antigos que foram transformados em espaços interativos. Destaque para o Memorial Minas Gerais Vale, a Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa e seu teatro, o Espaço TIM UFMG do conhecimento – com seu planetário e o terraço astronômico – e para o Museu das Minas e do Metal, preferidos das crianças. O CCBB de BH também faz parte.  Os horários e preços variam de acordo com os prédios que serão visitados. Mas a dica é aproveitar para conhecê-los às quintas-feiras, quando o horário de funcionamento é estendido e a entrada é gratuita em todos os espaços. Conheçam tudo sobre o Circuito e aproveitem para fazer um tour virtual aqui.

Pampulha: é a região localizada no entorno da lagoa homônima que é um dos principais cartões postais de BH. Nela estão os estádios Governador Magalhães Pinto e Jornalista Felipe Drummond (carinhosamente chamados de Mineirão e Mineirinho, respectivamente), clubes, restaurantes kids friendly, o Parque Ecológico, a Igrejinha de São Francisco de Assis, o Museu de Arte da Pampulha, a Casa de Baile, o Jardim Botânico, o Centro de Preparação Equestre da Lagoa, o Zoológico com seu magnífico Aquário São Francisco, o Aeroporto e o tradicional Parque Guanabara. Na Pampulha contamos ainda com pistas de ciclismo, corrida e caminhada: razão pela qual, diversos eventos esportivos nacionais e internacionais ocorrem no local. É um endereço para passear várias vezes e para passar o máximo de tempo possível, pois tem muita coisa bacana para ver e aproveitar.

Parque Municipal Américo Renné Giannetti: localizado no coração da cidade, na Avenida Afonso Pena, 1377, é uma charmosa área de lazer e contemplação, inspirado nos parques franceses Belle Époque, com muita área verde; lagos com peixes e marrecos; orquidário; espaço para picnic;playgroud; atrações como o passeio de burrinho e parque de diversões. Dentro dele ainda encontramos o teatro Francisco Nunes e o maravilhoso Palácio das Artes. E nele sempre acontecem eventos culturais. O parque funciona de terça-feira à domingo, das 6 às 18 horas, mas o melhor dia para passear por lá com nossos babies é aos domingos, para aproveitar também a feira de artesanato que acontece em frente ao parque. A entrada é gratuita. Saiba mais aqui.

Roteiro Baby Floripa


Projeto Tamar: a base fica na praia da Barra da Lagoa, na ilha de Santa Catarina, parte da capital Florianópolis (para quem não sabe, Florianópolis possui uma parte continental e outra insular). Para quem está no centro da cidade (na ilha), fica a aproximadamente 25 Km. Passando a Lagoa da Conceição, seguindo para a Barra da Lagoa, existem várias placas sinalizando o local. Super fácil de achar! Existem alguns tanques espalhados pela base, onde ficam as tartarugas, algumas delas muito grandes. A Patrícia Tabalipa ficou impressionada com o tamanho e achou super legal ver a criança encontrando o animal pessoalmente – o que só tinha acontecido por meio de desenhos – e fazendo a comparação. Super dica: marquem o passeio de vocês de forma que às 15:30 já estejam lá, pois é nesse horário que elas são alimentadas e os tratadores contam mais sobre as espécies e a idade de cada uma. Leiam mais sobre esse programa aqui.

Lagoa do Peri: situada no sul da ilha, próximo à praia da Armação do Pântano do Sul, com uma superfície de 5 Km², é a maior lagoa de água doce do litoral catarinense, dentro do que restou da Mata Atlântica, fica situada dentro do Parque Municipal Lagoa do Peri. Com uma fauna e flora rica, possui variadas espécies como o jacaré do papo amarelo que está em extinção. O local possui uma estrutura boa para receber as famílias, como estacionamento, banheiros e área infantil. Super convidativo para um dia de sol e com águas calmas para as crianças.

Dunas da Joaquina: do lado leste da ilha, a mais famosa e mais procurada duna, fica na praia da Joaquina. Uma grande extensão de areia que forma morros, onde crianças e adultos se divertem, descendo correndo, rolando ou de prancha. Diversão para toda a família!

(Dica extra)Pizzaria Lorenzo’s: lugar com uma vista sensacional, comida maravilhosa e o mais importante: totalmente kids friendly, com direito à área de “Pizzaiolo mirim”, na qual as crianças montam suas pizzas, que são assadas e levadas à mesa para elas comerem. Vejam que delícia o passeio que a Patrícia fez por lá com sua família aqui.

Roteiro Baby Maceió


Orla de Maceió: é simplesmente fantástica para passear, pedalar e caminhar, mas aos domingos, ela fica ainda mais especial, pois se transforma em um verdadeiro parque, já que um trecho entre Ponta Verde e Pajuçara fica fechado para lazer. Cama elástica, piscina de bolinhas, pedalinhos e quadriciclos garantem o entretenimento da garotada. Vocês podem levar suas bikes – ou alugar um por lá – e passear com a família toda. Barracas de praia super agradáveis garantem sucos, drinks e petiscos maravilhosos e o mar é mais do que apropriado para um delicioso banho. A Alline Ramos dá mais informações aqui. Preço da locação de brinquedos: em média, R$ 5,00 por meia hora.

Praia do Gunga: uma das mais bonitas do Estado, na opinião de muitos apreciadores da região. No entanto, esse passeio pode não ser bacana dependendo do trecho que vocês escolherem para ficar, da barraca escolhida para petiscar e, principalmente, do dia e hora escolhidos para desfrutar desse paraíso. É interessante visitar o local cedinho para evitar o tumulto no estacionamento. Também é bacana escolher com calma o pedacinho de terra da sua família, sendo recomendado o lado voltado para a Lagoa do Roteiro, por oferecer um banho mais tranquilo para as crianças. Na parte central, a movimentação é maior. Se for possível locar um carro, vale à pena. Algumas empresas de turismo “empurram” os visitantes para as barracas mais caras (que nem por isso são as melhores), ficam querendo vender passeios (muitas vezes desnecessários) e limitam o horário, impedindo que simplesmente se curta o paraíso e tome muitos banhos de mar. Vocês conferem mais dicas da Alline aqui.

Praia de São Miguel dos Milagres: uma das paixões da Alline, distante de Maceió cerca de 1 hora e meia. Ela conheceu a região antes do “boom”turístico e não deixou mais de ir. É um lugar acolhedor, com praia linda e preservada, um cantinho especial para relaxar e namorar. Após o nascimento do filho, ela descobriu que também é maravilhosa para crianças, com águas mornas e calmas. As piscinas naturais e o passeio pelo Rio Tatuamunha, viabilizado pelo Projeto Peixe-Boi, são imperdíveis! É um destino para amantes da natureza e da tranquilidade. Nada de cama elástica ou video-games. Um lugar para respirar ar puro, fazer castelos na areia e curtir um banho de mar maravilhoso.

Roteiro Baby Sumaré


Horto Florestal: considerado a maior área verde da cidade. Está disponível para fazer trilhas com duração média de 10 minutos, mas é necessário caminhar com a presença de um guia, então, vocês deverão agendar uma visita monitorada. É possível visitar o Viveiro Municipal de Plantas e Mudas, onde existem espécies de mudas para replantio urbano e reflorestamento. O horário de funcionamento é das 7 às 16 horas com entrada gratuita. Para as crianças, há o Espaço Criança Ecológica que tem o objetivo de facilitar o aprendizado e despertar a consciência ambiental. Uma boa pedida para quem busca relaxamento junto à natureza e para apreciar as diversas espécies que compõem a fauna e a flora da biosfera local.
Endereço: Estrada do Horto Florestal, s/n.
Telefone: (19) 3883 7099

Represa do Marcelo: um dos principais pontos turísticos de Sumaré é a Represa Marcelo Pedroni que possui uma belíssima paisagem para lazer e pesca, Funciona diariamente a partir das 7 horas e chega a receber até mil pessoas nos finais de semana. Alguns eventos ocorrem lá, como a Virada Cultural, já que a represa possui área para shows. São mais de 10 espécies de peixes na área de pesca, futuramente deverá oferecer o serviço de pedalinhos. O local foi revitalizado em 2005 e, desde então, o visitante encontra pista de cooper, mesas de picnic e um playground ecológico para as crianças. A represa tem esse nome em homenagem ao imigrante italiano Marcelo Pedroni que é oficialmente o responsável pelo início da canalização da água na cidade. Na Praça da República, atrás da Igreja Matriz, há um busto de Marcelo, que ficou conhecido como o “Pai da Água” e também é nome da avenida que leva os moradores até a represa.
Endereço: Rua da Represa Marcelo Pedroni, s/n, Jd. Francischini.
DAE Sumaré: 0800 151025

Mini Pantanal: em Paulínea, a 5 Km de Sumaré, tem um verdadeiro santuário ecológico que pode ser apreciado de barco ou a pé pelas margens do Rio Atibaia. Trata-se do Mini Pantanal, um dos ecossistemas mais completos da região. Nele é possível observar grandes variedades de fauna e flora. Marrecos, quero-queros, frangos d’água, talha-mares, e – as mais comuns e em grande número – garças podem ser vistos, além de outros animais, como jacarés, capivaras, ratão do banhado, conforme a época do ano. Os passeios de barco são realizados mediante retirada de senhas, pois o número de viagens é limitado. O parque funciona aos sábados, domingos e feriados, das 9 horas às 16:30. Há barracas de lanches e um belo playground para a criançada.
Endereço: Avenida Luis Vicêncio, s/n, Bairro Parque da Represa.
Telefones: (19) 3884 6118 e 3884 6002

*Texto escrito pelas blogueiras da Equipe Roteiro Baby e compilado por Roteiro Baby aqui.

Como viajar e manter a saúde bucal? [Colunista – Odontopediatra]

Por Daiana Hahn
Passando pelas férias escolares e aproveitando para viajar, surge uma preocupação: como cuidar dos nossos dentes e principalmente dos dentes das nossas crianças nas viagens? Sabendo que não é viável sairmos carregando escova, pasta e fio dental na bolsa fica umas dicas para amenizar essas situações mantendo a saúde bucal e aproveitando a viagem!
Primeiramente seria ingerir mais água e procurar evitar comer as chamadas “besteiras” como chocolates e salgadinhos, opte por lanches mais saudáveis como frutas e sucos naturais, aliás todo corpo agradece!
Para os adultos e as crianças que já sabem mascar chicletes, há varias opções que nos ajudam em situações onde não teremos como realizar escovações, como exemplo o trident, que é uma goma de mascar com xilitol na sua fórmula, substância essa responsável por reduzir o número de bactérias, e ainda o fato de mascar estimula a salivação que é nossa proteção natural e ajuda a neutralizar os ácidos no ambiente bucal.
E para os bebês e crianças menores tem como opção higienizar os dentes com uma gaze ou fraldinha, friccionando em todos os dentes, pois esse atrito ajudará a remover o acúmulo de alimentos e da placa bacteriana. Há também na indústria internacional os Moisten Wipe with xylitol, um lencinho descartável umedecido com xilitol, que facilita muito pela praticidade e ainda reduz o número de bactérias, nos ajudando no controle da cárie.
        

                   



 No Brasil achei apenas um site de São Paulo que vende o produto: http://www.formulaeacao.com.br/2010/loja-produtos.asp?iID=89

Mas lembre-se! Essas são ideias para nos ajudar na higiene em algumas situações de passeios, assim que for possível devemos realizar a higiene completa com fio dental e bastante escovação para conseguirmos evitar a cárie!!

Projeto Tamar – Base Florianópolis [Nós indicamos]

VOCÊ SABIA? O lixo no mar pode ser pode ser engolido por engano pelas tartarugas marinhas, podendo causar sua morte.


Um passeio que já constava na nossa lista de indicações, mas que nunca havíamos ido: o Projeto Tamar, na Barra da Lagoa. Quem mora em cidade turística sabe, muitas vezes os turistas conhecem lugares, que os moradores da cidade nunca foram! E num sábado de Sol, resolvi ir conhecer um desses lugares. 


Pra quem não sabe o que é o projeto:
Para minimizar os efeitos predatórios da pesca sobre as tartarugas marinhas, o Projeto Tamar instalou, em 2005, a sua base na região, o Tamar Floripa, na praia da Barra da Lagoa, distante 25 km do centro de Florianópolis, na costa leste da ilha. O Centro de Visitantes, também implantado na área da base, auxilia no trabalho de conscientização e educação ambiental de visitantes, comunidades e pescadores. Conta com infra-estrutura que inclui cinco tanques de observação com exemplares de quatro das cinco espécies de tartarugas marinhas que desovam no Brasil, sala de video e exposições, espaço infantil e loja para venda de produtos Tamar. 
A Base fica na praia da Barra da Lagoa, na Ilha de Santa Catarina, parte da capital Florianópolis (para quem não sabe, Florianópolis, capital do estado de Santa Catarina, possui uma parte continental e outra insular). Para quem está no centro da cidade (na ilha), fica aproximadamente a 25km. Passando a Lagoa da Conceição, seguindo para a Barrada Lagoa, existem várias placas sinalizando o local. Super fácil de achar!

Placas no caminho indicam: estamos chegando! E para nos recepcionar uma bebê tartaruga! 


Possui um estacionamento pequeno, mas gratuito, bem em frente a entrada. O valor das entradas é de R$10, sendo que estudante pagam meia entrada, crianças até 1,20m(?) não pagam. Grupos possuem valores diferenciados e devem marcar com antecedência.

Chegamos propositalmente às 15h, pois às15:30h, as tartarugas são alimentadas e as crianças adoram esse momento. Nesse momento, os monitores explicam que elas são alimentadas de peixe exclusivamente e os tipos de peixes que estão dando. Explicaram também como sabem se é uma tartaruga fêmea ou macho, que só conseguem definir o sexo delas perto dos 12 anos de idade, pois é nessa idade que as diferenças aparecem: o rabo dos machos é mais longo, assim como as unhas.
O espaço não é muito grande, mas possui alguns diferentes ambientes como a sala de vídeo, que fica passando um vídeo explicativo sobre o projeto. Um ambiente em que quando vão grupos, como os escolares, eles explicam sobre o perigo do lixo nos mares. Várias tartarugas (estátuas) espalhadas, explicando a espécie e detalhes de casa uma delas. 
Existem alguns tanques espalhados pela base, onde ficam as tartarugas, algumas delas muito grandes! Fiquei impressionada com o tamanho. Muito legal ver a criança vendo o animal pessoalmente, coisa que só tinha visto em desenho e fazendo a comparação! 

Cecília me mostrando as tartarugas, depois no espaço kids, e como ela disse, dando a “mão” para a amiga!


Existe um espaço kids, onde tem folhas de papel branco em formatos como tartaruga, peixe, estrela… para as crianças escrever ou desenhar, e depois podem ser colocados em um varal no próprio local.

O local possui banheiro com trocador, um banheiro bem simples, mas muito limpo. Não possui nenhum tipo de quiosque ou bar, que venda alimentos ou bebidas, mas possui um bebedor público. A saída da base é pela lojinha do projeto, e a renda é toda da instituição.

Indicação do banheiro com fraldário (o//), uma das placas fofas e um dos tanques!


Adoramos o passeio, e acredito que para a Cecília foi ainda mais legal. Para quem mora e nunca foi, vale tirar uma tarde e passear com as crianças. Para quem vem de fora, vale a pena colocar junto com o passeio quando forem conhecer as praias do leste da Ilha, pois fica ao lado da Praia Mole e Joaquina! Vale salientar que quem vem em grupo, é legal marcar pois a visita será acompanhada por um monitor, que explicará os detalhes do projeto e acaba sendo mais educativo! 

Esse é um painel que existe para batermos foto! Parece que estamos na praia! Lindo!


Espero que gostem! Beijos Patty

Rua Professor Ademir Francisco s/n, Barra da Lagoa.
Telefax: (48)3236-2015
E-mail: tamarflorianopolis@tamar.org.br

Horário de funcionamento: das 9h30 às 17h30 até 20/12/2013.
De 20/12/2013 a 09/03/2014, aberto das 10h às 19h.

A difícil arte de ser "Pai" [Acessibilidade]

Depois que nos tornamos pais, começamos a perceber que faltam algumas coisas em certos lugares, ou estes estão inadequados. Como já conversamos sobre a acessibilidade dos carrinhos de bebê, a dificuldade também se encontra em outras situações.
Segundo o dicionário Aurélio: Significado de Acessibilidade s.f. Qualidade do que é acessível, do que tem acesso. Logo um pai que não pode entrar em um banheiro com trocador (pois o mesmo só tem no banheiro feminino), não possui acessibilidade. Nos dias de hoje é muito comum pais viajar ou passear com filhos sem as mamães, e nesse momento os papais precisam trocar seus filhos ou levar sua filha ao banheiro, e agora?? O que fazer? E por quê essa cultura que as mães que devem trocar e levar os filhos ao banheiro? 
Um blog que acompanho e admiro A Janela Laranja, criou um manifesto de um pai que participa: por +banheiros familiares e +trocadores nos banheiros masculinos.
Aqui na Grande Florianópolis, alguns shoppings e restaurantes já estão aderindo a esse formato. Acho o banheiro familiar uma excelente solução para lugares em que não tem como fazer muitas opções. Fui a um restaurante onde o banheiro para cadeirantes, possui o trocador e por ser mais amplo, pode ser usado como banheiro familiar. Lembro-me quando minha filha era bebê, e passeava com ela no shopping por exemplo, como ir ao banheiro e deixá-la no carrinho sozinha?? Sempre optava em ir ao shopping que tinha banheiro familiar (ainda farei um post só sobres os shopping, se eles deixarem…rsrs)
Sei que para os donos de estabelecimentos, tudo gera custo, mas devem lembrar que os que possuem esse diferencial, atraem mais clientes. Em locais com grande circulação de pessoas, como shoppings, aeroportos, rodoviárias, os administradores deveriam ver isso como uma obrigação. 
Sobre um outro problema de acessibilidade, semana passada entrou em vigor uma lei em São Paulo para reservar vagas em estacionamento para grávidas e mães (que deveria ser os pais também). Há quem não concorde, mas experimente ir sozinha(o) para algum lugar com filho pequeno sozinho, para ver se não muda de opinião. Aqui na cidade já temos um shopping que separou esse tipo de vaga.
Esses diferenciais só demonstram o respeito e carinho dos estabelecimentos com as famílias que frequentam o local. E eu agradeço! Beijos Patty

Blogs de Viagem: eu leio! (e sou fã)

Hoje a ABBV, Associação Brasileira de Blogs de Viagem faz um ano, e não é só os blogs que tem muito a comemorar, o leitores também! Antes mesmo de me tornar uma “blogueira”, já era leitora assídua dos blogs de viagem.
E descobri esse maravilhoso mundo em 2011. Fui apresentada ao mundo dos blogs pela minha cunhada Fernanda, que já acompanhava diversos blogs, entre eles os Dri EveryWhere, e acompanhávamos além do blog o Instagram, que quando falávamos dele nos referíamos “a nossa amiga Dri” rsrs. E nesse ano, resolvemos viajar para Europa. Até aí ok, tudo certo, se não fosse o fato que minha filha estaria com 16 meses e seria inverno!
E agora como viajar com um bebê no frio europeu? E a comida, seria tranquilo? Como poderíamos nos deslocar? E foi aí que entraram outros blogs. Entrei em contato com a Adriana (a Dri) que me atendeu prontamente, mas como na época ela não tinha filhos e nem experiência com crianças me indicou outros três maravilhosos blogs Viajando com Pimpolhos, Aprendiz de Viajante e o Colagem
Salvaram a minha viagem em muitos aspectos! Na época conversávamos através do Twitter e foram muitas as dicas que me ajudaram a ter uma ótima grande viagem com um bebê! Li vários posts, de diversos blogs, sendo que esses sempre foram como meu “livro de cabeceira”!. 
Na volta continuei a ler, pois como livros, pra mim, os blogs te levam a lugares que você nunca foi! Muitos deles nos inspiram a querer conhecer o lugar, ou dizer essa viagem não é pra mim! 
E foi também depois de muitas leituras que resolvi me aventurar no universo dos blogs. Queria poder ajudar as fmílias que vem para Floripa, como muitos me ajudaram. Ainda estou engatinhando perto dessas grandes blogueiras. Mas se no mundo real a concorrência é desleal e muitos só pensam no próprio sucesso, no mundo virtual dos blogueiros a ajuda é mútua e todos se empenham com o sucesso mútuo! 
Muito obrigada por me acolherem. Obrigada a Equipe Roteiro Baby e a Angi, da Mãe de Guri por ter me incentivado e ajudado a tornar esse sonho real! 

Parabéns ABBV! Longa vida e tudo de melhor! #GoABBV

Beijos Patty

Aprendendo com os filhos: Superação![Papo de Mãe]

 por Adriana Garcia

O radical não me atrai. Prefiro a segurança da tranqüilidade. Sofia não se parece nada comigo nesse aspecto. Ela ama aventura e não economiza nas peripécias. Apesar de pequena ela já me ensina muito com sua personalidade. Esse final de semana colecionei mais um item na minha lista de superação, e isso graças a ela. Passamos o final de semana num hotel em Rio Quente-GO, e Sofia me chamava a toda hora para descer com ela nos tobogãs e rampas radicais, e eu? Só de olhar causava arrepios e faltava a respiração! Depois de tanta insistência e argumentos ela me convenceu. E também porque me lembrei dos artigos sobre medo que havia lido há um tempo e lembrei-me também da matéria no ROTEIRO BABY FLORIPA sobre o medo. Então fui lá ver qual era essa de enfrentá-lo.  Nas primeiras descidas os gritos e tremedeiras foram inevitáveis. Depois fui superando e descia sem gritar, mas continuava tomando meia piscina de água. Era um mico total! Até as crianças bancavam de salva-vidas jogando a bóia para me auxiliar. O impacto era tão grande na descida que demorava até eu me situar no tempo e no espaço. Por fim, depois de dois dias de muito vexame, me superei! No terceiro dia já consegui vencer um pouco esse medo que sempre me acompanhou (até hoje não aprendi a nadar, de tanto medo d’água!), com o incentivo de Sofia, eu já estava descendo os tobogãs e rampas maiores: de lado, de frente, sentada, deitada, de cabeça, de bruços e Sofia se divertia! Ela determinava uma pose para a descida e tínhamos que executar, e assim tivemos dias muito divertidos e gostosos por aqui. Valeu a experiência, parece pouco, mas para quem tem medo de água é um avanço enorme! Você já superou algum temor com ajuda de seu filho? Troque esta experiência, seria legal saber de que forma seu filho lhe deixou mais segura e confiante! 

Avião? Oh Não! [Colunista – Terapeuta familiar]

Por Veridiana Fernandes
Como mãe de duas filhas, casada com estrangeiro, nestes últimos anos fiz muitas viagens longas – para visitar nossa família – e acredito que tenho algo a acrescentar neste quesito.
Primeiro, esqueçamos todos os manuais que dizem o que levar, o que fazer, como fazer, para onde ir. O mais importante, sob o meu ponto de vista, é respeitar o ritmo da criança. Não adianta querer que ela se adapte ao seu programa. Isso gerará muito desgaste para ambas as partes. Se ela acorda cedo e vai dormir cedo, aproveite sua viagem neste intervalo de tempo. Tudo fluirá melhor!
Quanto ao avião, devo dizer: tenho duas filhas e uma é completamente diferente da outra. A primeira dorme – e sempre dormiu – como uma pedra. Nem parece que está no avião. A segunda berra. Berra muito e o tempo todo. Já tentei de tudo (peito, remedinho homeopático, remedinho alopático, chupeta, passeios intermináveis pelo avião, sling, colo do pai…) quando digo tudo é porque foi tudo mesmo. Não adianta. É fácil darmos conselhos aos outros quando nossos filhos são calmos como a minha mais velha. Mas agora tenho experiência para saber que o melhor conselho é: não se importe com os outros. Eles torcerão o nariz, te olharão feio, alguns tentarão dar conselhos, outros perguntarão se é fome ou dor de ouvido. Seja o mais educada possível e responda apenas “não. Ela é assim mesmo, obrigada.”
O maior desespero que podemos sentir estando em uma caixa a não sei quantos mil metros de altura é que estamos perturbando a vida alheia, mas isso nos ensina algo muito profundo sobre a maternidade: não controlamos nada. Mesmo. E isso valerá desde o momento em que engravidarmos até o fim de nossas vidas. Lição valiosa não é mesmo? Sim, com certeza, mas como encarar o desespero da barulheira que seu filhote pode provocar durante um vôo? Conselho de mãe para mãe: ligue aquele botãozinho do egoísmo absoluto (aquele mesmo que, durante a gravidez você ligava para comer algo que estava desejando muito, sem oferecer para ninguém). Lembre-se que aquele vôo durará apenas algumas horas (muitas, eu sei) e que depois, todas aquelas pessoas poderão descansar em seus quartos de hotel e vc estará cansada e sem dormir. Se você pensar assim, quem ficará com raiva deles será você e isso fará com que a culpa se dissipe.
Agora, brincadeiras à parte, a paciência e a atenção nas pequenas coisas é o que nos faz aproveitar muito nossas viagens com crianças. Elas nos farão olhar o mundo com outros olhos, nos farão perceber detalhes inesperados e, muito provavelmente, abrirão nossos corações para vermos as diferenças culturais como algo muito natural. Se puderem, experimentem deixar seus filhos brincarem livremente em um parque infantil. Pode ser uma surpreendente e bela descoberta sobre relações humanas.
E tenham todos uma boa viagem!

Blogagem coletiva – Primeira viagem da nossa família

Esse post faz parte da Blogagem coletiva do grupo “Viagens em Família” , idealizado pela Cláudia Rodrigues do blog Felipe o pequeno viajante, e o tema escolhido para estrear foi: A primeira viagem da nossa família!
Em nossa primeira viagem, Cecília tinha apenas 3 meses e, em termos de deslocamento, foi uma viagem curta, pois fomos de carro para Bombinhas – SC, uma distância de 70km de Florianópolis. 
Vista da sacada do quarto

Considero Bombinhas um destino perfeito para quem gosta de praia, águas calmas e passeios variados. Conhecida por suas águas transparente, está localizada na chamada Costa Esmeralda, que é composta por praias como Porto Belo, Quatro Ilhas, Canto Grande… uma mais linda que a outra.

Vista aérea da região, lindo!

Fomos em um final de semana com feriado com os padrinhos da Cecília e mais um casal, ambos sem filhos. Ficamos na pousada Solar das Tartarugas e adoramos. Perto da praia que consideramos a mais bonita de Bombinhas: a Praia da Sepultura. Era o segundo turno das eleições, logo não tinha muito movimento nas praias. 

Com a mamãe na praia! 

A pousada possuía berço desmontável, o que foi ótimo. Não tinha banheira, então levamos de casa. Os apartamentos possuem uma mini cozinha, com microondas o que ajudava para a preparação da mamadeira. Tudo muito bom. Apesar da Cecília ainda não entrar na água, os papais e titios aproveitaram! E mamãe descansou!

Acordando! 

Por ser uma época em que ainda não era tão quente (início de novembro) íamos à praia tranquilos, levávamos um tapete para ela ficar deitadinha e o bebê conforto, para quando ela dormisse. Como ela ainda só mamava. as maiores preocupações eram trocar a fralda e a hora de comer. Sempre em uma sombra e com protetor solar. 
Acho que ela estava gostando

Visitamos outras praias como a Laranjeiras em Balneário Camboriú, e ela como sempre se comportou muito bem. Uma praia que também indico, mais movimentada. Durante toda a viagem ela se comportou bem. Sempre procurei respeitar os horários dela, por mais que o local seja diferente, acredito que a rotina deva ser mantida. Gostaram? Beijos Patty

Dormindo com a supervisão da Dinda


Para os papais que não tinha coragem de viajar com os filhos se animaram? Aqui tem mais histórias para encorajar, ou planejar. Veja como viajaram (estão por ordem de postagem): 

8 – Mônica Nogueira do M de Mônica…e Mãe…: http://mgnogueira.blogspot.com.br/2010/02/alalaoooo-mas-que-calooooor.html
9 – Debora Galizia do Viajando em Família: http://viajandoemfamilia.com.br/?p=482
13 – Ligia Cantarelli do Sem vírgula antes do etc: http://www.semvirgulaantesdeetc.com.br/a-primeira-viagem-da-familia/
16 – Cássia dos Santos Virgens do Fomos juntos: de malas prontas!: http://educadorecia.blogspot.com.br/2013/05/blogagem-coletiva-primeira-viagem-da.html
29 – Luciano e Andrea do Malas e Panelas: http://malasepanelas.com/nossa-primeira-viagem-em-familia/
34 – Marcia Tanikawa do Os caminhantes




Viagem com crianças: que documentos precisamos levar?

Com a proximidade das férias escolares, é hora de começar a planejar uma viajem com as crianças e para quem viaja com elas, alguns requisitos são muito importantes, principalmente referente à documentação.
Para viagens nacionais e para crianças que viajam com os pais, avós ou tios, não há necessidade de autorização judicial. Basta que apresentem certidão de nascimento ou RG, para comprovar a filiação e ou parentesco.
Para as crianças que viajam acompanhadas de pessoas maiores de 18 anos e que não se enquadram nas pessoas acima mencionadas, é necessária autorização expressa dos pais ou responsáveis. Não há necessidade de autorização judicial, bastando preencher o formulário disponível nos cartórios extrajudiciais e ter sua assinatura reconhecida, por semelhança ou autenticidade, além de cópia do documento da criança.
Com relação às viagens internacionais, as regras são um pouco diferentes. Caso a criança viaje somente com um dos pais, precisará da autorização expressa do outro; se viajar desacompanhada de ambos os pais ou responsáveis, mesmo que seja com parente, precisará da autorização expressa dos pais ou responsável, observando-se a necessidade de reconhecimento da assinatura por semelhança ou autenticidade.
A autorização judicial para viagens nacionais ou internacionais, somente é exigidas caso a criança viaje desacompanhada de maiores de 18 anos. Nesse caso, os pais devem procurar o fórum da cidade onde residem ou onde se encontra a criança e solicitar a autorização, bastando levar os documentos pessoais dos interessados, e quando for o caso o termo de guarda ou tutela.
O que muitos pais acabam esquecendo, é que também precisam autorizar a hospedagem das crianças quando estas viajam com parentes, sejam estes avós, tios, primos ou qualquer outra pessoa maior de 18 anos. A criança somente poderá ficar hospedada em hotéis, motéis, hospedagens e locais congêneres se acompanhada dos pais ou responsável (com apresentação de documentação que comprove a filiação ou termo de guarda/tutela), ou se com terceiros, somente havendo autorização expressa dos pais, também com a firma reconhecida por semelhança ou autenticidade.
Um ponto importante, é que as autorizações extrajudiciais são válidas pro trecho de viagem. Exemplo: Vôo de ida e volta para o Rio de Janeiro, há necessidade de 2 autorizações.
Observados os requisitos acima é só aproveitar a viagem!
Tammy Fortunato